quinta-feira, 8 de julho de 2010

O Encantador de Palavras

Sou encantador de palavras.
Lavro-as livres,
Leves como levo a vida,
Envolvidas em vazio e flores.
Palavras soltas no ar
Como a brisa à beira-mar.
Não as prendo aos limites dos livros.
São lindas lidas na lida
Do exercício dos amores.
(Para dizer que amo,
Picho-as nos muros,
Lanço-as na Net
Deito-as na rede e as amo).
Deleito-me no delito de amar sem a marca da culpa
A me atazanar.
Sou encantador de palavras
E mesmo quando a vida me divide,
Me divirto desvirtuando os sentidos
De tudo o que pareça claro
E declaro-me antagônico de tudo que seja óbvio.
O amor não é óbvio, por isso amo e não reclamo.

Marcos Alderico
03/02/201

2 comentários:

  1. E deleito-me ainda com as palavras desse Poeta Encantador-de-Palavras, conquistador de bem-quistos... "Fascinador" de amores...

    E o encanto é multuo a cada de suas ...letas!

    E o desejo do perto e cada sorrir que encerra... e cada de suas letras... e cada de mil poetas...

    Belíssima homenagem ao Encantador de Palavras...

    Seu ano seja repleto e pleno de belas conquistas, alegrias a ti Andrea...

    Com carinho...

    ResponderExcluir
  2. Andreia, obrigada pela homenagem que me ofertas, fiquei maravilhado. Que tua poesia seja eterna, como a de todo poeta que ama e usa a alma para escrever...Somos assim, imortais dentro de nosso ser.

    Obrigada e Beijos!

    ResponderExcluir